Para muita gente aliança é só mais um anel no dedo. Essa máxima, porém, não se aplica aos noivos e casados, que vêem o símbolo sagrado da união eterna como um objeto que vai os acompanhar para o resto da vida. Portanto é preciso muita cautela e parcimônia na hora de escolher a aliança perfeita.

Além dos vários modelos disponíveis é preciso também checar o material de que são feitos, o peso, a marca e, claro, o preço – afinal, se só o amor fosse necessário para comprar aliança, não se venderia nenhuma por menos de um milhão, não é?

Engana-se quem pensa que existe algum modelo da moda quando o assunto é aliança de casamento. Pode parecer clichê, mas não dá para sair muito do básico. Alguns homens compram para as noivas um mimo de noivado com brilhantes, mas a aliança de casal geralmente é lisa, dourada e um pouco mais grossa do que um anel comum.

Mas nada impede que os noivos personalizem seus anéis de casamento. Além de gravar os nomes e a data do enlace na parte de dentro da aliança é possível também pedir um brilhantezinho, desenho ou forma em alto relevo à joalheria que vai fabricar os anéis.

Dá para escolher também entre alianças polidas e escovadas, onde a diferença está basicamente no visual, uma vez que as polidas são brilhantes e as escovadas são opacas. E o casal que compra os anéis não precisa se preocupar com a durabilidade do acessório, já que é mais provável que eles durem mais do que o próprio casamento. Isso não quer dizer que o casamento vai durar pouco!

Pelo contrário: o ouro e a platina, os metais mais usados para a confecção das alianças de casamento, são metais nobres e apresentam durabilidade centenária – senão milenar. A diferença entre os dois metais está basicamente no preço: a platina, mais pesada, geralmente é um item que encarece mais a aliança em relação ao ouro.

O intuito de se usar aliança é mostrar para todo mundo, e si mesmo, o símbolo de uma união que visa ser duradoura – então o jeito é caprichar, em casa, para fazer com que o uso desse acessório faça sentido.

Afinal, não adianta nada comprar a mais cara das alianças (os preços podem variar de pouco mais de cem reais até milhões de reais, dependendo do modelo) se a verdadeira união, que é a das almas, não for comprometida com a eternidade.